ASTRONAUTA DE MÁRMORE

ASTRONAUTA DE MÁRMORE

ASTRONAUTA DE MÁRMORE – DEJAVU VOL. I
David Bowie – Versão : Thedy Corrêa / Sady Homrich / Carlos Stein

A lua inteira agora é um manto negro
O fim das vozes no meu rádio
São quatro ciclos no escuro deserto do céu.

Quero um machado pra quebrar o gelo
Quero acordar do sonho agora mesmo
Quero uma chance de tentar viver sem dor.

Sempre estar lá e ver ele voltar
Não era mais o mesmo mas estava em seu lugar
Sempre estar lá e ver ele voltar
O tolo teme a noite como a noite vai temer o fogo
Vou chorar sem medo
Vou lembrar do tempo
De onde eu via o mundo azul

A trajetória escapa o risco nu
As nuvens queimam o céu nariz azul
Desculpe estranho, eu voltei mais puro do céu.

A lua o lado escuro é sempre igual
No espaço a solidão é tão normal
Desculpe estranho, eu voltei mais puro do céu.

Sempre estar lá e ver ele voltar
Não era mais o mesmo mas estava em seu lugar
Sempre estar lá e ver ele voltar
O tolo teme a noite como a noite vai temer o fogo
Vou chorar sem medo
Vou lembrar do tempo
De onde eu via o mundo azul